Empreendedorismo

CONSIDERAÇÕES

Empreendedorismo: substantivo masculino

ADM MKT

“disposição ou capacidade de idealizar, coordenar e realizar projetos, serviços, negócios.

inciativa de implementar novos negócios ou mudanças em empresas já existentes, ger. com alterações que envolvem inovação e riscos.”

Ao mesmo que temos o empreendedorismo como uma oportunidade de desenvolver atividades geradoras de renda, temos também, a atividade pessoal em buscar uma identidade social que gere renda como uma necessidade pessoal em razão de falta de trabalho. Numa economia capitalista de competição e lucro onde postos de trabalho são substituídos com facilidade por máquinas, por robôs, por processos tecnológicos que diminuem exponencialmente a necessidade de pessoas envolvidas em atividades que produz e reproduz lucro sem necessidade de compartilhar resultados.

Com a retração da ECONOMIA CAPITALISTA na parte que trata do fator TRABALHO na produção há um misto de sonho/fantasia a seduzir que pessoas voluntariosas se dediquem em buscar um espaço social na economia tentando perceber algum produto que o MERCADO necessite.

Na Economia Capitalista, em geral, o “empreendedor” passa a ser apenas um trabalhador com menos direitos e garantias do que aquele trabalhador que tem vínculo profissional reconhecido numa relação de TRABALHO/CAPITAL. Funciona, o empreendedor, como pessoa jurídica atuando muitas vezes única e exclusivamente como empregado sem direitos trabalhistas por prazos determinados ou indeterminados numa precarização ainda maior da atividade econômica.

Ao invés de inovadora e potencial aumento de renda a atividade de empreendedora numa economia fechada e viciada acaba sendo apenas uma tentativa de sobrevivência.

Toda a característica do Empreendedorismo fica por outro lado como uma realidade possível e talvez até desejada na ECONOMIA PARTICIPATIVA. Deixaria de existir a atividade empreendedora por necessidade e todos os empreendedores estariam investindo o melhor de sua criação e disponibilidade em oportunidades de contribuir socialmente com o desenvolvimento econômico e social com a possibilidade de geração de renda extra. Teria para quem produzir. Teria com quem trocar produtos ou serviços por moedas. Teria renda de Honorários agregada ao seu CAPITAL através de Trabalho realizado.

A ECONOMIA PARTICIPATIVA não é uma economia fechada ou de exclusão ou de reserva de mercados. É uma economia aberta de reconhecimento social pela dedicação e trabalho realizado para obter o resultado que busca economicamente.

Artistas de todas as ordens, voluntários de todas as ordens, prestadores de serviços, comerciantes, cuidadores, professores, pequenos e médios negócios tenderão a uma expansão de atividades pessoais de forma significativa e consolidada porque há quem consumir e moedas disponíveis para estas trocas.

É o que se espera da ECONOMIA PARTICIPATIVA.

A solução de um impasse econômico provocado pelo Capitalismo em busca de um MERCADO em que a economia seja um ambiente de trocas possíveis e não de negócios privados com o objetivo principal ou prioritário, o LUCRO.

O LUCRO, o JUROS, os BENS QUE GERAM RENDA não podem ser e não dever ser os motores da Economia Participativa e devem ser, somente, os resultados de um funcionamento social ajustado ao MERCADO e às Leis da Empresa/Estado BRASIL S.A.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s